Últimas Notícias
Download http://bigtheme.net/joomla Free Templates Joomla! 3

Católico juntar as escovas de dente com protestante, espírita, ateu… pode?

casamentos mistos

Uma leitora nossa de Moçambique está namorando um rapaz muçulmano. Ela tem grandes expectativas de que os dois venham a se casar, e nos escreveu perguntando: “Será possível fazer uma família com religiões diferentes?”. A princípio, não é aconselhável, mas é possível. A Igreja prevê a possibilidade dos chamados “casamentos mistos”, desde que algumas condições sejam aceitas pelos noivos.

Vamos explicar tudinho neste post!

AS DIFICULDADES DO CASAMENTO MISTO

Antes de tudo, sem meias palavras, é preciso dizer: a Igreja desaconselha que católicos se casem com pessoas não católicas, e alerta sobre as graves dificuldades desse tipo de união. Se o noivo ou noiva não for nem ao menos cristão, as advertências da Igreja quanto às dificuldades de tal união são ainda mais fortes.

kellyannyAs diferenças ou a total disparidade de crenças introduz uma grave divisão na Igreja doméstica, ou seja, a família. Se marido e mulher não se unem na mesma fé, obviamente fica muito mais difícil para a parte católica ser fiel aos preceitos evangélicos, em especial no que diz respeito à participação no culto da Igreja e à educação dos filhos.

“Tenho certeza absoluta que Deus colocou o Anderson no meu caminho, na minha vida, para formamos uma família. Nos amamos muito, e ele é o homem certo para mim. Mas não vou negar, às vezes surgem conflitos por causa das religiões diferentes” – revela Kellyanny Alves, moradora de Brasília-DF. Ela é católica, e se uniu em matrimônio com Anderson (foto ao lado), membro da Umbanda; eles têm duas filhas, ambas educadas na fé da Igreja.

Kellyanny conta um exemplo de algumas das dificuldades que ela e o marido precisam lidar em seu dia a dia: “Muitas vezes, o horário das obrigações religiosas dele coincide com o horário em que tenho compromissos na Igreja, e então é necessário decidir o que fazer com as crianças, ou considerar se algum de nós pode abrir mão do compromisso… É preciso muito amor e diálogo”.

Como ensinou o Papa Paulo VI (no Motu Proprio Matrimonia Mixta), a Igreja entende que as dificuldades decorrentes do casamento misto podem ser superadas com a ajuda à vigilância e zelo dos pastores. É preciso que esses casais sejam devidamente acompanhados em sua caminhada na fé.

Como disse São Paulo “O marido que não tem fé, é santificado pela esposa e a esposa que não tem fé é santificada pelo marido que tem fé” (1 Cor 7, 14).

SUSPENSÃO DE IMPEDIMENTO PARA CASAMENTO MISTO

O casamento entre duas pessoas batizadas, uma das quais é católica e a outra não católica, é proibido pela Igreja. Afinal, a maioria das denominações os protestantes não reconhecem o matrimônio como sacramento, e muitos deles nem ao menos o consideram uma união insolúvel (isso sem contar a diferença de pontos de vista e interpretações sobre a moral e a doutrina cristãs).

O casamento entre uma pessoa católica e uma pagã – seja ateu ou membro de outra religião não-cristã – é inválido e também proibido pela Igreja.

Porém, tal impedimento não é inflexível: o Ordinário local (geralmente o bispo) pode suspender o impedimento, se julgar que há motivos justos e válidos para isso. Nesse caso, um pastor zeloso verificará se são cumpridas as condições necessárias à dispensa.

CONDIÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DO CASAMENTO MISTO

Para obter a dispensa do impedimento do casamento misto, um católico deve estar disposto a:

  • tudo fazer para guardar sua fé católica;
  • prometer fazer todo o possível para batizar e educar os filhos na religião católica;
  • comunicar ao noivo (ou noiva) não católico as obrigações acima citadas.

O Ordinário local também deve se certificar de que ambas as partes estejam devidamente instruídas a respeito das finalidades e das propriedades essenciais do casamento. Por exemplo, um noivo não católico deve saber que não tem a opção de casar e criar cachorros, em vez de filhos. Tal união seria nula.

As conferências de bispos de cada país devem determinar a forma como esses compromissos devem ser firmados. Alguns padres aconselham que seja exigido que ambas as partes assinem um compromisso por escrito.

A CERIMÔNIA DE CASAMENTO NÃO PODE SER AVACALHADA

Cerimônias em que um padre e um líder de outra religião realizam, lado a lado, cada qual o seu rito de casamento, são pura presepada. O rito do casamento misto deve ser puramente e exclusivamente CATÓLICO. O ministro da outra religião pode até estar presente e proferir algumas palavras e orações (é preciso ter cuidado neste ponto), mas jamais para celebrar o rito do matrimônio simultaneamente com o sacerdote. Ou seja, CONSENTIMENTO dos noivos à união deve ser dado somente ao ministro católico, jamais a um ministro de outra religião.

Também é proibido aos noivos realizar, antes ou depois do rito católico, outra cerimônia de casamento, conforme os ritos de outra religião.

Caso a parte não-católica bata o pé e se recuse a participar de uma cerimônia católica, é possível comunicar essa dificuldade ao Ordinário local e pedir a dispensa da cerimônia.

otavinho

FONTE: OC